Comentário Expositivo de Ageu - Comentário especial
  • Comentário Expositivo de Ageu - Comentário especial
  • Comentário Expositivo de Ageu - Comentário especial
  • Comentário Expositivo de Ageu - Comentário especial
  • Comentário Expositivo de Ageu - Comentário especial
  • Vídeo sobre o produto

Comentário Expositivo de Ageu - Comentário especial

Sku: 598CAF300F117_copia_1

NCM: 4901.10.00

Categoria: AT: ProfetasAT: Históricos e Poéticos

Marca: Exclusivo da Editora

Quantidade Disponivel: 43 un

Promoção 27%

de R$ 37,50

Por R$ 27,38

à vista R$ 24,64 economize 10% no BOLETO ou Caixa Econômica, SANTANDER e Banco Votorantim

Frete e Prazo

Simule o frete e o prazo de entrega estimados para sua região:

Descrição do Produto

Prefácio
 
Tenho em mãos a obra do Prof. JEAN CARLOS DA SILVA e apreciar com especial atenção, visto que se trata de um comentário exegético e o autor demonstrou sua capacidade bíblica ao comentar o profeta menor Obadias. 
 
Subtende-se no exame histórico do livro que havia uma relação vital no assunto do texto com a profecia do Profeta Jeremias e, por isso, a obra de Obadias se constitui num oráculo do Senhor.
 
  A sua profecia se parece a um poema amargo em que o profeta alude a uma situação histórica na qual os idumeus se aliaram aos inimigos de Israel e juntos saquearam Jerusalém (1.10-14).  A época mais provável para esta profecia aconteceu no reinado de Jeorão ( 852-841 a.C. aprox..) quando Jerusalém foi invadida e saqueada pelos filisteus e árabes ( 2 Cr 21.16-19).  Nos parece que o livro foi escrito, de fato, antes de Jeremias ( Jr 49.7-22)
 
A forma poética do livro explora os paralelismos hebraicos para expressar os sentimentos vividos por Israel. No caso desse livro, Obadias denuncia os pecados de Israel e do seu rei, pelos quais a justiça divina requeria a penalização dos mesmos. Como sempre, Israel parece voltar atrás e reconhece a grandiosidade dos seus pecados e que o Deus de Israel, Deus justo e perfeito na execução da sua justiça executaria a pena ( 1.15). Reconheceram, acima de tudo, a Soberania e a Onisciência de Deus como Aquele que vê todas as coisas e que está pronto para manifestar sua justiça, perdoando e restaurando o seu povo. 
 
Percebe-se que a profecia de Obadias parece um processo criminal em que Deus, Justo Juiz julgará com equidade esse processo. 
 
Parabéns ao autor por começar com Obadias, um livro pequeno, mas de grande conteúdo histórico e profético. Por ser uma obra exegética irá preencher a necessidade de se valorizar a importância dos profetas menores.
 
Concordo com o autor quando fala sobre a nomenclatura “profetas menores”, preferindo a expressão “profetas posteriores”. Entretanto, não irá diminuir o valor desses profetas que são chamados pela tradição judaica de “profetas menores”, os quais são designados mais por uma questão pedagógica do que canônica. O que importa é fato do seu valor considerado como “inspirado” para compor o cânon do AT. 
Outras informações sobre Obadias, sua pessoa, seu ministério, sua fidelidade a Deus em meio a circunstancias adversas, são apresentadas pelo autor com cuidado e critério, o que nos deixa à vontade para indicar esta obra aos estudantes da Bíblia.
 
Pastor Elienai Cabral 
Membro da Academia Evangélica 
de Letras do Brasil
Membro da Casa de letras Emílio Conde 
Consultor Doutrinário e 
Teológico da CGADB e CPAD

Informações do Produto

Índice

I – QUESTÕES INICIAIS

Textos adotados por este comentarista, 10

Revistas da Escola Bíblica Dominical por este comentarista, 11

Prefácio, 12

Agradecimentos, 15 

II –   QUESTÕES HISTÓRICAS RELACIONADAS Ao livro do profeta AGEU

Introdução, 23 

Autor do livro de Ageu, 29

Data do livro de Ageu, 31

Contexto histórico do livro de Ageu, 33

Comparação com outros livros da Bíblia, 35

Esboço do livro de Ageu, 38

Características do livro de Ageu, 23

III – COMENTÁRIO EXPOSITIVO DE AGEU - CAPÍTULO 1

1. Censura por terem relaxado na construção do templo (1.1-4), 42

2. Resultado por terem relaxado na construção do templo (1.5-11), 57

3. Resolução para construção do templo (1.12-15), 68

IV – COMENTÁRIO EXPOSITIVO DE AGEU - CAPÍTULO 2

4. Glória inadequada no templo atual (2.1-5), 85

5. Glória Messiânica no templo futuro (2.6-9), 112

6. Contaminação de Judá (2.10-14), 128

7. Bênção econômica pela construção do templo (2.15-19), 146

8. Futura destruição dos reinados gentios (2.20-23), 160

Conclusão, 168

Apêndice de gráficos gerais, 171

Lista de contribuintes, 179

Avaliação dos Clientes
  • Nenhum comentário foi postado para esse produto, seja o primeiro!